Covid-19: pesquisadores estimam 'aumento significativo' de casos e recomendam suspensão de aulas presenciais no DF

Por Redação em 20/01/2022 às 14:49:41

Nota técnica alerta para contaminação de crianças e pessoas mais jovens. Escolas da rede pública da capital voltam a receber alunos em 14 de fevereiro; g1 aguarda posicionamento da Secretaria de Educação e da UnB. Teste PCR para detecção da Covid-19, em imagem de arquivo

Ascom/IMD/UFRN

Uma nota técnica feita por diversos pesquisadores do país estima "aumento significativo" de casos de Covid-19 no Distrito Federal. O documento recomenda que aulas presenciais em escolas e universidades sejam suspensas para evitar contaminação de crianças e do público mais jovem.

A análise foi divulgada nesta quarta-feira (19), e os pesquisadores consideraram dados divulgados pela Secretaria de Saúde até 15 de janeiro. "Observamos que os dados mostram uma clara tendência em um aumento significativo nos casos em crianças e jovens, causado pelo retorno a aulas presenciais", diz o texto.

LEIA TAMBÉM:

RESTRIÇÃO: uso de máscaras volta a ser obrigatório em locais abertos no DF, a partir desta quarta-feira

CONTÁGIO: taxa de transmissão de Covid sobe mais uma vez no DF; Plano Piloto tem maior número de infectados conhecidos

ENTENDA: Ministério Público do DF recomenda que escolas públicas não sejam usadas na vacinação de crianças e causa polêmica

As atividades na rede pública de ensino do DF, que serão 100% presenciais, estão previstas para 14 de fevereiro. Na UnB, por exemplo, a retomada foi nesta segunda (17), mas apenas 15% das turmas terão aulas presenciais. Questionadas pelo g1, a Secretaria de Educação e a UnB não haviam se manifestado até a última atualização deste texto.

A nota é assinada por pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a Universidade do Estado da Bahia (UNEB), entre outras.

Ao g1, o especialista em biofísica da Uneb e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) Marcelo Moret, que participou da análise, informou que as notas técnicas são distribuídas às secretarias, para que o governo possa ter embasamento e tomar iniciativas.

"O mais gritante das estimativas é o retorno às aulas. Isso vai ser um divisor de águas: as crianças vão para as escolas e vão contaminar muita gente", afirmou.

De acordo com o documento, a projeção deve motivar uma análise sobre a possibilidade de suspensão das aulas presenciais, "até que a fase dessa nova onda fique para trás". Outro alerta da nota técnica é de que, com grande circulação do vírus, também é mais fácil que surjam novas variantes.

Aumento de mortes

Leito de UTI no Hospital Regional de Samambaia, no Distrito Federal, em imagem de arquivo

Breno Esaki/Agência Saúde DF

O documento também sugere que as mortes provocadas pelo novo coronavírus devem subir. "Esse aumento de casos ainda não se refletiu no número de óbitos, o que deve infelizmente ocorrer em uma ou duas semanas", afirma.

A nota técnica explica, no entanto, que a vacinação deve reduzir significativamente a mortalidade entre os infectados. "Estar vacinado não quer dizer que a pessoa não vá pegar mais o vírus, mas a necessidade de hospitalização vai ser muito baixa", diz Marcelo Moret.

Dados da Secretaria de Saúde, atualizados nesta quarta, mostram que 83,85% da população do Distrito Federal tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Em relação às pessoas que completaram a imunização, o percentual chega a 77,82%.

A nota técnica ainda traz as seguintes orientações:

Aumentar a testagem da população, sobretudo das pessoas mais expostas, com rastreamento de contatos;

Realizar extensas campanhas públicas de informação sobre os cuidados essenciais, como o porte de máscara e distância mínima entre pessoas, enfatizando a real gravidade da Covid-19, e divulgando amplamente as inúmeras sequelas observadas em pessoas curadas, a inexistência de tratamento precoce ou definitivo, e que um retorno a uma situação próxima à normalidade pré-pandemia só será possível com toda população devidamente vacinada, de crianças a idosos. Enfatizar o uso correto de máscaras e quais as máscaras mais eficazes;

Gestores e autoridades públicas devem basear suas decisões na melhor evidência científica disponível, assessorados por painéis de especialistas, das diferentes áreas do conhecimento pertinentes ao momento;

Vacina o mais rapidamente possível as crianças de 5 a 11 anos de idade, para que possa frequentar a escola com mais segurança;

Ampliar os cuidados para crianças de zero a quatro anos enquanto não puderem ser vacinadas.

Aumento de casos

Passageiros em fila na Rodoviária do Plano Piloto, em Brasília, em imagem de arquivo

TV Globo/Reprodução

A taxa de transmissão da Covid-19 está em 2,46 no Distrito Federal, segundo levantamento da Secretaria de Saúde divulgado nesta quarta. O índice é o segundo maior desde o início da pandemia, ficando atrás apenas de março de 2020, quando esteve em 2,61. O número aponta que cada 100 infectados podem contaminar outras 246 pessoas.

De acordo com a Secretaria de Saúde, na quarta, foram registrados 2.308 novos casos conhecidos de Covid-19 e mais 3 mortes. Desde o início da pandemia, 11.135 pessoas perderam a vida e 553.988 foram infectadas em Brasília. De acordo com a SES-DF, 92,8% dos doentes estão recuperados.

Para conter o avanço da doença, o governo do Distrito Federal decretou medidas de restrição como uso obrigatório de máscaras em locais ao ar livre, proibição de pistas de dança e aglomerações em estabelecimentos e suspensão de eventos com cobrança de ingressos.

Leia mais notícias sobre a região no g1 DF.

Fonte: G1/DF

Comunicar erro
Agro Noticia 728x90