54º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro: saiba tudo sobre evento que começa nesta terça-feira

Por Redação em 07/12/2021 às 07:06:16

Programação vai até 14 de dezembro; transmissões dos 63 filmes selecionados são pela TV e internet. Tema deste ano é 'O cinema do futuro e o futuro do cinema'. A 54ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (FBCB) começa nesta terça-feira (7) e vai até 14 de dezembro. Por causa da pandemia de Covid-19, o evento será, mais uma vez, em formato online.

Os 63 filmes selecionados serão exibidos gratuitamente na plataforma InnSaei.TV, enquanto os longas da mostra nacional competitiva serão apresentados, também, no Canal Brasil, às 23h30.

Confira programação completa da 54ª edição do festival

Na sequência, à 1h30, o mesmo longa estreia na plataforma, ficando disponível até as 23h29 do mesmo dia. No site do festival, é possível conferir os horários da programação virtual e agendar um alarme para não perder as sessões favoritas.

LEIA TAMBÉM:

OSCAR NIEMEYER: morte do arquiteto completou nove anos neste domingo

CULTURA: Conheça Alves, rapper do DF vencedor do Duelo Nacional de MCs

VACINAÇÃO: DF tem 232 mil pessoas que ainda não tomaram primeira dose

As votações do Júri Popular – que escolhe os vencedores – também estarão disponíveis exclusivamente pela plataforma. De acordo com a organização do festival, o campo de votação aparecerá logo após a exibição do filme na íntegra.

Cine Brasília exibe filmes do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro; em imagem de arquivo

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro/Divulgação

'O cinema do futuro e o futuro do cinema'

O Festival de Brasília 2021 pretende debater a desigualdade social e as perspectivas para o setor audiovisual após quase dois anos do início da pandemia do novo coronavírus. Setenta por cento dos filmes selecionados são ficções – obras produzidas em 11 estados brasileiros (veja mais abaixo a lista dos filmes).

Para o secretário de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal, Bartolomeu Rodrigues, a atual edição já nasce histórica, pois repercute as mudanças impostas pela crise sanitária à sociedade.

"O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro sempre, em sua natureza, foi um espaço para o diálogo com o que está por vir. Daqui, nasceram linguagens, estéticas e debates políticos que construíram a identidade do novo cinema brasileiro. Essa edição vai pautar esse mundo pós-pandemia. Nada será como antes, e essas tendências serão examinadas nos dias de festival", afirmou o secretário.

Ainda segundo Bartolomeu , a edição deste ano contou com orçamento de R$ 2 milhões, e não houve captação de recursos privados.

Filmes selecionados para a Mostra Competitiva Nacional

Dentre os 985 filmes inscritos, seis longas e 12 curtas foram escolhidos para pleitear os cobiçados Candangos da Mostra Competitiva Nacional. A seleção de longas traz quatro ficções e dois documentários da Bahia, do Distrito Federal, de Goiás, de Minas Gerais, de São Paulo e do Rio de Janeiro.

'Filhos da Periferia' (DF), curta de Arthur Gonzaga, debate juventude e violência nas quebradas, e concorre nas duas mostras competitivas do festival.

Taís Castro/Reprodução

Confira a lista de longas da Mostra Competitiva:

'Acaso' (DF), de Luis Jungmann Girafa

'Alice dos Anjos' (BA), de Daniel Leite Almeida

'De onde viemos, para onde vamos' (GO), de Rochane Torres

'Ela e eu' (SP), de Gustavo Rosa de Moura

'Lavra' (MG), de Lucas Bambozzi

'Saudade do Futuro' (RJ), de Anna Azevedo

Entre os curtas nacionais, são nove ficções e três documentários. Cinco produções são de São Paulo e duas do Distrito Federal, sendo as demais da Paraíba, do Amazonas, do Rio Grande do Sul, do Paraná e de Pernambuco.

Confira a lista de curtas da Mostra Competitiva:

'Adão, Eva e o Fruto Proibido' (PB), de R.B. Lima

'Cantareira' (SP), de Rodrigo Ribeyro

'Chão de Fábrica' (SP), de Nika Kopko

'Como respirar fora d"água' (SP), de Júlia Fávero e Victoria Negreiros

'Da boca da noite à barra do dia' (PE), de Tiago Delácio

'Deus me Livre' (PR), de Carlos Henrique de Oliveira e Luis Ansorena

'Era uma vez… uma princesa' (RS), de Lisiane Cohen

'Filhos da Periferia' (DF), de Arthur Gonzaga

'N.F. Trade' (DF), de Thiago Foresti

'Ocupagem' (SP), de Joel Pizzini

'Sayonara' (SP), de Chris Tex

'Terra Nova' (AM), de Diego Bauer

Filmes selecionados para a Mostra Brasília

O longa 'Acaso' (DF), de Luis Jungmann Girafa, concorre nas duas mostras competitivas

Luis Jungmann Girafa/Reprodução

Segundo a comissão do festival, os títulos que integram a Mostra Brasília revelam uma produção local incessante, com jovens e veteranos realizadores concorrendo. "Buscamos escolher filmes que dialogassem com as premissas do Festival de Cinema, como representatividade, justiça social e novas linguagens", afirma Marcelo Santos, membro da comissão de seleção.

Entre os curtas que competem na Mostra Brasília estão quatro ficções e quatro documentários:

'A Casa do Caminho', de Renan Montenegro

'Benevolentes', de Thiago Nunes

'Cavalo Marinho', de Gustavo Serrate

'Ele tem saudade', de João Campos

'Filhos da Periferia', de Arthur Gonzaga (selecionado também para a Mostra Nacional)

'Tempo de Derruba', de Gabriela Daldegan

'Tinhosa', de Rafael Cardim Bernardes

'Vírus', de Larissa Mauro e Joy Ballard

Os longas selecionados para a mostra local são:

'Acaso' (ficção): de Luis Jungmann Girafa (selecionado também para a mostra nacional)

'Advento de Maria' (ficção): de Vinícius Machado

'Mestre de Cena' (documentário): de João Inácio

'Noctiluzes' (ficção): de Jimi Figueiredo e Sérgio Sartório

Mostras paralelas

Público no Cine Brasília à espera das sessões do 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro; em imagem de arquivo

Mayangdi Inzaulgarat/Divulgação

O 54º FBCB exibe duas mostras paralelas propostas pelos curadores do festival, o cineasta Sílvio Tendler e a professora Tânia Montoro. A mostra Sessentinha reúne nove clássicos do cinema brasiliense – entre eles, 'Louco por Cinema', de André Luiz Oliveira; 'Braxília', de Dannyella Proença; e 'Sequestramos Augusto César', de Gui Campos.

Já a mostra Memória e Linguagens é composta por quatro longas que investigam a cultura brasileira por meio de personagens, situações, criações artísticas e da própria formatação da identidade nacional.

Com curadoria do Cineduc (Cinema e Educação), o Festivalzinho reúne, ainda, 17 títulos para o público infanto-juvenil, vindos de oito estados.

Tributo a personalidades do audiovisual brasileiro

A atriz carioca Leila Diniz é homenageada, junto de outros nomes do audiovisual brasileiro, no 54º FBCB.

GloboNews

A edição deste ano presta homenagem a vários nomes célebres do cinema nacional. "Não tem coisa mais futurista do que revisitar a memória e essa edição fará esses passeios", assegura Tânia Montoro.

Na cerimônia de abertura, transmitida ao vivo a partir das 20h desta terça-feira (7), o legado da atriz carioca Leila Diniz é celebrado, com a exibição de "Já Que Ninguém Me Tira pra Dançar" (RJ). O documentário, dirigido por Ana Maria Magalhães, foi realizado a partir de restaurações de entrevistas concedidas pela irreverente artista, falecida em 1972, aos 27 anos.

Na noite de premiação, o Festival de Brasília oferece um Candango Especial pelo reconhecimento da obra de Léa Garcia, atriz carioca fundamental para o teatro e cinema brasileiros, em seus 88 anos de idade e 70 de carreira.

O 54º FBCB também homenageia a memória da professora emérita da UnB, Lucília Marquez, da cineasta Tânia Quaresma e dos atores Lauro Montana, Luiz Gustavo, Tarcísio Meira, Paulo José e Paulo Gustavo.

Oficinas, seminários e debates

51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

Júnior Aragão/Divulgação

Este ano, o Festbrasília também oferece debates, oficinas, seminários, painéis setoriais e atividades voltadas ao mercado, todos realizados na plataforma Zoom. Para participar das atividades, não é necessária inscrição prévia (com exceção das oficinas).

As masterclasses recebem quatro mestres da sétima arte. Nos encontros, que ocorrem entre os dias 8 e 11 de dezembro, Costa-Gravas, Ruy Guerra, Amos Gitai e Helena Solberg compartilham experiências e reflexões sobre o futuro do cinema. Cineastas e demais profissionais envolvidos no mercado também dividem perspectivas em 11 discussões virtuais e abertas ao público.

A 54ª edição do FBCB terá ainda, 16 debates e rodas de conversa com diretores e outros membros das equipes de filmes exibidos em todas as mostras do festival.

Sobre o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

Artistas se reúnem próximo à piscina do Hotel Nacional de Brasília em uma das edições do tradicional Festival de Cinema

Secretaria de Comunicação Social/Arquivo Público do DF/Reprodução

O Fest Brasília é o festival de cinema mais longevo do país, sediado no histórico Cine Brasília. Embalado pela novidade do Cinema Novo, movimento audiovisual brasileiro interessado em abordar temas sociais e subverter a estética "pasteurizada" dos filmes hollywoodianos da época, a primeira edição do festival aconteceu em 1965, por iniciativa de docentes da Universidade de Brasília (UnB) – entre eles, o professor de cinema Paulo Emílio Sales Gomes.

Uma das premissas do festival é que os filmes selecionados devem ser inéditos e, preferencialmente, não terem sido premiados em outros festivais nacionais.

Serviço

54ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (FBCB)

Quando: de 7 a 14 de dezembro

Formato: online e gratuito

Onde assistir: via plataforma InnSaei.TV e Canal Brasil (somente longas da mostra nacional, diariamente, às 23h30)

Programação completa do festival: clique aqui

*Sob a supervisão de Maria Helena Martinho

Veja o que fazer em Brasília no g1 DF.

Fonte: G1/DF

Comunicar erro
Agro Noticia 728x90