Vacina contra Covid-19: DF recebe 5,8 mil doses da Pfizer

Por Redação em 03/05/2021 às 23:03:51

Material chegou ao Aeroporto de Brasília na noite desta segunda-feira (3). Segundo governo local, imunizantes serão aplicados em pessoas com comorbidades. Lote de vacinas da Pfizer recebida pela Secretaria de Saúde do DF

SES-DF/Divulgação

O Distrito Federal recebeu, na noite desta segunda-feira (3), o primeiro lote de vacinas da Pfizer/BioNTech contra a Covid-19, com 5.850 doses. O material desembarcou no Aeroporto Internacional de Brasília por volta das 19h20 e foi encaminhado à Rede de Frio da capital, onde ficará armazenado.

Segundo a Secretaria de Saúde do DF (SES-DF), as doses serão aplicadas em pessoas com comorbidades. A imunização desse público começa nesta terça-feira (4), por meio de agendamento.

Veja a lista de comorbidade para vacinação contra Covid-19 no DF

Intervalo da vacina da Pfizer: por que o Brasil adota 3 meses entre doses e não segue indicação de 21 dias?

A vacina da farmacêutica norte-americana exige cuidados no armazenamento, já que, em longos períodos, precisa ser mantida a uma temperatura entre -65°C e -80°C.

Vacinas da Pfizer chegam ao Distrito Federal

Segundo a SES-DF, uma análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) apontou que a vacina mantém as propriedade se ficar sob temperatura entre -15°C e -30°C por um período de até duas semanas, e de 2°C e 8°C por até cinco dias.

A Secretaria de Saúde afirma que "o ultracongelador da Rede de Frio Central tem capacidade de 570 litros e consegue armazenar até 40 mil doses de imunizantes". Ainda de acordo com a pasta, o equipamento pode chegar a -80ºC. Além disso, a Universidade de Brasília (UnB) disponibilizou cinco "ultracongeladores" para manter a vacina.

Freezer de armazenamento na Rede de Frio do DF

Breno Esaki/Agência Saúde-DF

Contrato e aplicação

Ao todo, o governo federal assinou contrato para a compra de R$ 100 milhões de doses da Pfizer para entrega ao longo deste ano. Além disso, analisa um novo acordo para adquirir mais R$ 100 milhões de doses.

Nesta primeira remessa, o Brasil recebeu 1 milhão de vacinas da farmacêutica. Dessas, 500 mil foram enviadas apenas às capitais das unidades da federação, por conta dos desafios de armazenamento.

Nesta segunda, o Ministério da Saúde (MS) informou que não vai seguir o intervalo entre a primeira e a segunda doses indicado pela fabricante. A Pfizer orienta que a etapa final seja aplicada 21 dias após a inicial.

Segundo o MS, o prazo no Brasil será de 12 semanas (três meses). Em nota técnica, a pasta informou que o intervalo maior foi recomendado com base em estudos feitos no Reino Unido – o país optou por aumentar o espaçamento no início da campanha de vacinação, por causa da escassez de doses.

"Esta recomendação considerou que a vacinação do maior número possível de pessoas com a primeira dose traria maiores benefícios do ponto de vista de saúde pública, considerando a necessidade de uma resposta rápida frente a pandemia de Covid-19", diz o ministério.

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

Fonte: G1/DF

Comunicar erro

Comentários

Agro Noticia 728x90