Balança comercial tem superávit de US$ 10,34 bilhões em abril, maior saldo mensal em 33 anos

Por Redação em 03/05/2021 às 15:32:35

Entre os fatores que explicam o resultado estão a alta demanda mundial por produtos básicos, como alimentos e minério de ferro, e a disparada do dólar, que barateia os produtos brasileiros no exterior. A balança comercial registrou superávit recorde de US$ 10,349 bilhões em abril, informou o Ministério da Economia nesta segunda-feira (3).

O superávit é registrado quando as exportações superam as importações. Se ocorre o contrário, é registrado déficit comercial.

No mês passado, as vendas externas somaram US$ 26,481 bilhões e as compras do exterior totalizaram US$ 16,132 bilhões, segundo números oficiais.

Segundo o governo, esse é o maior superávit comercial para um único mês desde o início da série histórica do Ministério do Desenvolvimento, Industria e Comércio (hoje fundido à Economia), em janeiro de 1989.

Até então, o maior superávit mensal havia sido registrado em julho do ano passado, quando as exportações superaram as compras do exterior em US$ 7,601 bilhões (valor revisado).

O bom resultado, entre outros fatores, está relacionado à forte demanda mundial por produtos básicos, como alimentos e minério de ferro, além da disparada do dólar no Brasil - que torna as vendas externas brasileiras mais rentáveis.

Parcial do ano

No acumulado dos quatro primeiros meses deste ano, o governo informou que a balança teve saldo positivo de US$ 18,257 bilhões, valor 103,9% maior do que o registrado em no mesmo período de 2020, quando foi registrado um saldo positivo de US$ 8,955 bilhões.

De janeiro a abril, as exportações somaram US$ 82,130 bilhões, uma alta de 26,6% na média diária em relação ao mesmo período do ano passado, e as importações somaram US$ 63,873 bilhões, uma alta de 14%.

Exportações e importações

Segundo o Ministério da Economia, as exportações cresceram 50,5%, pela média diária, em abril deste ano, na comparação com o mesmo período de 2020.

Os dados oficiais mostram uma alta de 44,4% nas vendas externas de produtos agropecuários, de 72,3% na indústria extrativa e de 43,9% em produtos da indústria de transformação.

Na agropecuária, se destacaram as vendas de soja (+ 43,1%); Algodão em bruto (+ 112,8%) e café torrado (+ 27,1%), enquanto que, nos semimanufaturados, avançaram as exportações de minério de ferro e seus concentrados (+ 106,3%) e petróleo em bruto (+ 49,2%).

Já as compras do exterior subiram 41,1% em abril deste ano. Nesse caso, cresceram as importações de produtos agropecuários (+1,6%); da indústria extrativa (+ 35,5%) e de produtos da indústria de transformação (+42,6%). A comparação também foi feita contra abril do ano passado.

Previsão para 2021

O Ministério da Economia acredita que a balança comercial brasileira vai ter um superávit de US$ 89,4 bilhões em 2021. Se confirmado esse valor, o resultado será 75% maior que o obtido em 2020 e recorde para a série histórica.

A projeção da pasta é que as exportações cresçam 27% em 2021 e cheguem a US$ 266,6 bilhões. Já as importações devem crescer menos, 11,6%, atingindo US$ 177,2 bilhões.

Segundo o Banco Central, a balança comercial brasileira deverá registrar em 2021 um superávit de US$ 70 bilhões. Para o mercado financeiro, o saldo positivo deverá totalizar US$ 64 bilhões neste ano.

Fonte: G1

Comunicar erro

Comentários

Agro Noticia 728x90