Coronavirus 1456x180

Bolsonaro sanciona lei que permite Brasil adquirir vacinas do consórcio Covax Facility

Por Redação em 02/03/2021 às 05:26:53

Mas há alguns vetos. De um total de 42 milhões, o Brasil deve receber 10,6 milhões de doses de imunizantes no primeiro semestre. O lote vai custar R$ 2,5 bilhões. O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, a lei que autoriza o Executivo federal a aderir ao consórcio Covax Facility, coalizão de mais de 150 países criada para impulsionar o desenvolvimento e a distribuição das vacinas contra a Covid-19. A iniciativa é liderada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A sanção foi publicada na madrugada desta terça-feira (2) do "Diário Oficial da União (DOU).

O Brasil deve receber 10,6 milhões de doses de vacinas pela Covax no primeiro semestre. Mas o acordo do país com a OMS prevê o recebimento de um total de 42 milhões de doses e vai custar R$ 2,5 bilhões.

Diz a Lei Nº 14.121, de 1º de março: autoriza o Poder Executivo federal a aderir ao Instrumento de Acesso Global de Vacinas Covid-19 (Covax Facility) e estabelece diretrizes para a imunização da população. O artigo 2º informa que o governo poderá adquirir vacinas "seguras e eficazes".

Bolsonaro vetou os artigos 3°, 4°, 5°, 6° e 7°. Ele informou que parte dos artigos são inconstitucionais, não apontam estimativas de impacto orçamento e financeiro, podem gerar insegurança jurídica e violar o princípio constitucional da separação dos poderes ao retirar a competência privativa do presidente. Bolsonaro também vetou o prazo de cinco dias para Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar o uso emergencial das vacinas.

Covax enviará 280 milhões de vacinas contra a Covid às Américas em 2021

Diretoria da Anvisa dispensa registro e autorização emergencial para vacinas da Covax Facility

Doses previstas para o Brasil e o mundo

Em outubro, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, informou que a contribuição do Brasil na aliança global previa, como contrapartida, o recebimento de 42 milhões de doses de vacinas.

Esse total seria suficiente para a cobertura de 10% da população brasileira, o que equivale a cerca de 21 milhões de pessoas (considerando a necessidade de dose dupla).

A aliança Covax vai disponibilizar ao menos 2 bilhões de doses de vacinas até o fim de 2021 e 92 países pobres deverão ter acesso a 1,3 bilhão de doses ainda no primeiro semestre. O Brasil participa da aliança, mas não está na lista dos países mais pobres.

Fonte: G1

Comunicar erro
InfoJud 728x90

Comentários

Agro Noticia 728x90