Coronavirus 1456x180

Covid: estados vão apelar ao governo federal para que adote medidas restritivas em todo o país

Por Redação em 26/02/2021 às 21:50:30

Informação é do presidente do Fórum de Governadores, Wellington Dias, governador do Piauí. Segundo ele, 20 estados e do Distrito Federal já estão ou estão prestes a entrar em colapso. Dez estados e o Distrito Federal ampliaram medidas de isolamento para tentar conter o avanço da covid

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), presidente do Fórum de Governadores, afirmou nesta sexta-feira (26) que os governos estaduais vão fazer um apelo ao Ministério da Saúde para que determine medidas restritivas em todo o país a fim de conter a expansão da Covid-19.

Segundo Wellington Dias, os sistemas de saúde de 20 estados e o Distrito Federal estão no limite ou já entraram em colapso.

"E não há como um estado socorrer o outro neste momento. Por isso, os governadores estão apelando ao Ministério da Saúde para que ordene medidas restritivas em todo o país”, declarou.

VÍDEOS: autoridades relatam apreensão com UTIs lotadas e aumento da Covid nos estados

Ao menos 12 estados e o Distrito Federal adotaram — ou anunciaram que vão adotar — novas restrições para conter o crescimento de casos e de mortes por Covid-19.

O Brasil enfrenta aumento sem precedentes do número de casos e de mortes pela doença, o que pressiona unidades de saúde na rede estadual e municipal. Estados relatam situação crítica em razão da ocupação recorde de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Sete estados anunciaram restrição de atividades e toque de recolher: Bahia, Ceará, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte e São Paulo. Outros cinco (Acre, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Santa Catarina) mais o Distrito Federal anunciaram ou mantiveram endurecimento de restrições a comércio e a serviços não essenciais.

Bolsonaro chega a Tianguá, no Ceará, e causa aglomeração.

Bolsonaro

Nesta sexta, o presidente Jair Bolsonaro afirmou durante viagem ao Ceará que o governador que decidir "fechar o estado" é quem deve bancar o pagamento do auxílio emergencial.

Questionado sobre o assunto, Wellington Dias disse não acreditar que o Congresso aprovará a retomada do auxílio seguindo esse tipo de critério.

"Vinte estados e o Distrito Federal estão à beira de um colapso com falta de leitos, hospitais numa situação de superlotação, óbitos elevados, um país que ultrapassou 250 mil óbitos. O Congresso Nacional aprovará o auxílio emergencial para garantir, como sempre foi, para todos os brasileiros", afirmou.

Para Wellington Dias, os governadores estão adotando medidas restritivas que "levam em conta a situação do emprego, mas a preocupação com a vida". O objetivo, afirmou, deve ser evitar a transmissão ainda maior do novo coronavírus.

Fonte: G1

Comunicar erro
InfoJud 728x90

Comentários

Agro Noticia 728x90