Vereadora apresenta projeto de lei para proibir participação de crianças em eventos LGBTQIA+ em Natal

.

Por Redação em 21/11/2023 às 11:00:27

Projeto de Camila Araújo (União) foi protocolado no dia 9 de novembro e lido no plenário da C├ómara Municipal de Natal. Vereadora Camila Araújo preside sessão na C├ómara Municipal de Natal

Elpídio Júnior/CMN

Um projeto de lei em tramitação na C├ómara Municipal de Natal pretende proibir a participação de crianças em eventos como Paradas LGBTQIAPN+ na capital potiguar. A iniciativa do projeto é da vereadora Camila Araújo (União Brasil), que protocolou a matéria no dia 9 de novembro.

De acordo com o texto proposto, a participação de crianças de até 12 anos ficaria proibida em paradas ou eventos similares "que exponham a criança a ambiente de erotização precoce, nos termos do artigo 227 da Constituição Federal e dos artigos 4┬║ e 5┬║ da Lei Federal n┬║ 8.069/1990, que dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente".

Ainda segundo o texto, as crianças não poderão participar de movimentos realizados por entidades públicas ou privadas "que sob o argumento da conscientização da população para a causa, termina por expor às crianças qualquer tipo de nudez total ou parcial ou ambiente e condutas propícias a erotização infantil", diz o projeto.

Sanções

O documento ainda prevê sanções, como advertência nos casos da primeira infração e multas que podem variar de cinco a 20 salários mínimos em caso de reincidência.

Nos casos em que o descumprimento for promovido por ente público, a previsão é de abertura de procedimento administrativo para apurar a conduta do gestor responsável pela realização do evento.

O texto não, fala, porém, quem seria responsável pela fiscalização dos eventos.

Fórum LGBT Potiguar reage

O coordenador do Fórum LGBT Potiguar, Wilson Dantas, argumentou que a vereadora pretende "ganhar palco e visibilidade com as dores da população LGBTQIAPN +".

"Nós vamos procurar a Defensoria Pública do Estado para que ela seja formalizada por essa questão do ódio que ela tem proporcionado contra nossa comunidade. Acho que a vereadora desconhece a legislação, desconhece que a LGBTfobia é crime. Quando ela faz uma lei que tem como objetivo incentivar o ódio, incentivar a descriminazação contra nossa comunidade, está agindo criminosamente contra um segmento que já é tão marginalizado, excluído e que já sofre tanta violência", argumentou.

Vereadora diz que projeto não tem viés ideológico

Na justificativa do projeto de lei, enviada ao presidente da C├ómara e demais vereadores, Camila Araújo afirmou que o projeto de lei "não guarda qualquer laço com atitude de preconceito ou de viés ideológico" e visa resguardar os direitos da criança previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente.

"Nesse aspecto, não é de difícil constatação que nos eventos realizados com a denominação de paradas LGBTQIAPN+ é comum serem verificadas cenas de nudez (ou seminudez) dos participantes dos eventos, ou ainda, cenas que remetam a prática do ato sexual, se configurando em fragrante erotização", disse a parlamentar.

"Em que pese os eventos se revestirem, segundo os organizadores, de cunho de conscientização da população para a causa, ao não se exigir uma faixa etária mínima para a participação e acesso ao conteúdo, termina por expor às crianças a essas cenas de nudez total ou parcial ou ambiente e condutas propícias a erotização infantil", declarou.

Veja os vídeos mais assistidos no g1 RN

Fonte: G1

Comunicar erro
Agro Noticia 728x90